Mostrando itens por marcador: desenho

Quarta, 08 Setembro 2010 00:00

Andy Panda - 1939

Andy Panda é um personagem de desenho animado, um urso panda antropomórfico criado em 1939, que estrelou vários filmes de curta-metragens de animação  produzidos pelo estúdio de Walter Lantz e distribuídos pela Universal Pictures. No final dos anos 30, Walter Lantz decidiu que ele precisava de uma nova estrela para os seus desenhos animados. Algo original. Um dia, Lantz estava lendo jornal e viu que o Zoológico de Chicago havia recebido um urso panda, foi quando ele decidiu que sua nova estrela seria esse animal. Com esta idéia, Lantz criou Andy Panda. A primeira aparição de Andy Panda foi no curta-metragem "Life Begins for Andy Panda", de 1939, que relata a história do nascimento de Andy Panda e da primeira vez em que o personagem tem problemas com os pigmeus nativos da região, mas todos os animais da floresta conseguem salvá-lo.



Em seus primeiros desenhos, Andy Panda aparece como um filhote, cujo pai, o Sr. Panda, está sempre tentando se mostrar como um bom exemplo para seu filho (embora tudo sempre acabe dando errado). Ao longo dos anos, Andy Panda passou a estrelar seus desenhos animados sozinho e também sofreu mudanças no seu visual, até que ficou com uma aparência semelhante ao Mickey Mouse e ganhou um mascote parecido com o Pluto. O curta-metragem Knock Knock, de 1940, é marcado pela primeira aparição do mais famoso personagem criado por Walter Lantz: o Pica-Pau. Neste desenho, Andy Panda e seu pai tentam se livrar de um pica-pau louco que está fazendo buracos no telhado da casa deles.
Lantz continuou produzindo seus desenhos até que a última aparição de Andy Panda foi no desenho animado Scrappy Birthday, de 1949, o qual é marcado pela única aparição da namorada de Andy Panda, chamada Miranda Panda. From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.

Publicado em Desenhos
Sexta, 24 Janeiro 2014 22:00

Animais do Bosque dos Vinténs - 1993

Os Animais do Bosque dos Vinténs (The Animals of Farthing Wood) foi uma série de animação criada pela European Broadcasting Union - União Europeia de Radiodifusão (EBU-UER) entre 1992 e 1995, com base na série de livros escritos por Colin Dann. Foi produzida pela Telemagination, sediada em Londres, e pela La Fabrique, com sede em Montpellier, na França. A série foi ao ar, primeiramente, na Alemanha e no Reino Unido em janeiro de 1993, exibida posteriormente em outros países europeus.

 

 

O desenho, exibido no Brasil pela TV Cultura, fez sucesso durante os anos de 1993 a 1999. A animação trazia como tema o meio ambiente, a natureza e sua devastação, contando a estória de um grupo de animais forçados a fugir do bosque em que viviam por conta da invasão humana ao seu habitat, reflexo direto da modernidade que destruía as florestas. Os animais decidem se reunir e, juntos, somar forças para enfrentar os desafios que se impunham. O desenho traz extraordinárias lições às crianças sobre o enfrentamento dos obstáculos da vida, a socialização entre pessoas de raças distintas, respeito aos animais e ao meio ambiente. Para alcançar seus objetivos, o desenho falava diretamente às emoções do público. Ainda hoje é lembrado por toda uma geração. A primeira temporada da série foi baseada no livro Animals of Farthing Wood de Colin Dann. Para a segunda temporada, os livros In the Grip of Winter, Fox's Feud e The Fox Cub Bold serviram como referência. A terceira e última temporada foi inspirada nos livros In the Path of the Storm e Battle for the Park (esta é inédita no Brasil). From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.

Publicado em Desenhos
Domingo, 21 Novembro 2010 01:00

Anjo do Espaço - 1962

Anjo do Espaço (Space Angel) era o codinome de Scott McCloud, um agente do bureau de investigação da Terra dedicado a segurança do sistema solar. McCloud e sua tripulação viajavam pelo universo em uma super espaçonave chamada Starduster. A tripulação era formada por Taurus, especialista em mecânica e um experiementado piloto espacial, Crystal, especialista em eletrônica e astro-navegação e o pai de Crystal, Professor Mace, líder da estação espacial Evening Star. O Anjo do espaço foi criado por Dik Darley e Dick Brown da Cambria Studios, o mesmo estúdio que produziu a série Clutch Cargo e o desenho dos 3 Patetas.

 

 

Da mesma forma que Clutch Cargo, eles utilizaram uma técnica de animação, patenteada por eles, chamada Synchro-Vox technique, com superposição de movimentos verdadeiros de lábios por sobre a boca do desenho original. O diretor da série foi Alex Toth, um antigo animador da National Comics (DC), que algum tempo depois criou Space Ghost e muitos outros desenhos da Hanna-Barbera.
Anjo do Espaço foi apresentado pela primeira vez em 6 de fevereiro de 1962 e foi produzido até 1964. A vozes da série original em inglês eram de Ned Lefebver como Scott McCloud, Margaret Kerry e Hal Smith faziam as outras vozes e vozes incidentais. No Brasil a série foi apresentada pelos canais Tupi, Record e Gazeta. Fonte: Mofolândia

Publicado em Desenhos
Segunda, 27 Setembro 2010 00:00

Aquaman - 1967

Aquaman é um super-herói da DC Comics criado por Paul Norris e Mort Weisinger, que fez sua primeira aparição na revista More Fun Comics nº 7 (novembro de 1941). À exemplo do personagem da Marvel Comics Namor, O Príncipe Submarino, Aquaman também é um herói submarino originário do místico reino de Atlantis. Por muitos anos, foi considerado um coadjuvante na DC Comics, entretanto foi retratado na Era de Prata dos quadrinhos como um dos membros fundadores da Liga da Justiça da América e foi incluído entre os personagens do seriado Superamigos (tem um trecho logo acima no Youtube Classics), desenho animado que adaptava as aventuras da LJA nas décadas de setenta e oitenta, fazendo com que se tornasse um dos personagens mais conhecidos da editora.

 

Entretanto, talvez por dividir espaço com grandes ícones como Superman, Batman e Mulher Maravilha, Aquaman não raro foi alvo de gozação por seus poderes limitados e questionavelmente utéis pela mídia e pelo público. Mas, assim como a maior parte dos personagens de quadrinhos, ele também possui um contigente de defensores. Talvez em resposta à forma como o personagem foi representado em Superamigos, a versão moderna do personagem se tornou cada vez mais Dark e poderosa, e não é raro vê-lo como uma pessoa raivosa e durona. Como Rei da Atlântida, demonstra segurança e, às vezes, até arrogância. From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.

Publicado em Desenhos
Marcado sob
Quarta, 31 Março 2010 19:21

Arquivo cãofidencial - 1979

Arquivo cãofidencial (Buford Files) é um desenho com produção Hanna-Barbera que estreou em 1979, com um total de 13 episódios, que passava em conjunto com Fantasmino, o Fantasma Galopante. Kojeka (Buford) é um cão sabujo muito esperto mas dorminhoco, que vive em um pântano. Ele se junta a dois adolescentes, Rosinha (Cindy Mae) e o irmão mais velho Zé Quati (Woody), e em equipe tentam resolver mistérios que intrigam o Xerife Pé de Mula (Muletrain Pettigrew) e seu superansioso, mas atrapalhado, ajudante Janjão (Goofer McGee). As habilidades de Kojeka são expandidas com as orelhas que giram como um radar, e o focinho que responde às pistas como um contador Geiger; ele também fica maluco quando a lua aparece. O nome Kojeka é uma sátira ao seriado policial Kojak, com Telly Savalas, muito famoso na época de lançamento do desenho. No entanto, tanto o título original em inglês quanto o brasileiro parodiam outra série sobre detetives: "The Rockford Files", chamada no Brasil de "Arquivo Confidencial".

 

 

Dubladores
Estados Unidos

    * Kojeka: Frank Welker
    * Zé Quati: Dave Landsburg
    * Rosinha: Patricia Parris
    * Xerife Pé-de-Mula: Henry Corden
    * Janjão: Roger Pelz
No Brasil
    * Kojeka: Orlando Drummond
    * Zé Quati: ???
    * Rosinha: Neusa Tavares
    * Xerife Pé-de-Mula: Guálter França
    * Janjão: Mário Monjardim. From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.

Publicado em Desenhos

As Aventuras de Batman e Robin, o Garoto Prodígio (Batman with Robin the Boy Wonder) é uma série animada da Filmation que estreou na rede CBS americana em 13 de setembro de 1969, uma versão de 30 minutos de The Batman / Superman Hour, a primeira versão animada de Batman que dividiu espaço na série com Superman e Superboy. Também conhecida nos EUA como As Aventuras de Batman ("The Adventures of Batman"), o programa consistia em aventuras anteriormente exibidas com os super-heróis da DC Comics: Batman, Robin, Batgirl e alguns de seus inimigos clássicos. Batman e Robin iriam aparecer posteriormente no The New Scooby-Doo Movies, a segunda encarnação da série de desenhos animados com o Scooby-Doo, e diversas versões dos Super Amigos e em As Novas Aventuras de Batman ("The New Adventures of Batman") em 1977. From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.

 

Publicado em Desenhos
Sábado, 23 Outubro 2010 01:00

As Aventuras de Cacá - 1975

Nesses quase 60 anos da tv brasileira, centenas de animes já foram exibidos em nossa terrinha. Alguns passam batido sem causar impressão alguma, uns se tornam clássicos, outros verdadeiros fenômenos. Há ainda aqueles que passam tão despercebidos, mas tão despercebidos que muita gente duvida da existência deles. Um bom exemplo disso é As Aventuras de Cacá. O anime foi exibido nos anos 80 pelo SBT e até hoje muita gente duvida que ele tenha realmente existido, tanto que a série virou uma “lenda” entre os otakus. Muitos chegam ao ponto de dizer que o anime não passou de alucinação para os poucos que juram tê-lo visto (estamos falando de anime ou OVNI? :P). Nota do autor: eu normalmente traduzo os textos de fontes internacionais para colocar no site mas, no caso desta sinopse, você vai ver na íntegra o que foi feito por Tio Cloud do site www.jbox.com.br (ficou muito legal !!!)



Como adoramos revirar o baú de coisas velhas que ninguém ousou a falar, finalmente, depois de quase 20 anos de sua suposta exibição, podemos garantir pra você: o anime realmente existe!

A Exibição
Quando o SBT começou suas operações no início dos anos 80, ainda com o nome TVS, o canal comprou um pacote de desenhos animados, e junto estavam algumas produções japonesas, dentre eles Cacá, O Pequeno Príncipe e o Rei Arthur. Mas, ao contrário dos seus “coleguinhas”, Cacá teve o azar de não ter ganho um horário à altura. Na região Sudeste e Sul, o anime era exibido em horários exdrúxulos como as 6 da manhã, ou mesmo esporadicamente como tapa buracos. Só temos notícia de um estado onde a série foi exibida em um horário mais cômodo: na Bahia, onde era exibida no fim de tarde pela tv Itapoan (na época, afiliada do SBT por lá). Inclusive, a série acabou se tornando cult por aqueles lados, tanto que por outras partes do Brasil quase ninguém se deu conta de tal exibição.



Recentemente aconteceu algo parecido com o anime O Violinista de Hamelin. Comprado pela Record, a produção não foi ao ar nacionalmente, sendo exibido somente por algumas afiliadas da emissora. Você nem sabia que o Violinista de Hamelin existia? Xii.. Lá vamos nós de novo…

O anime
Falar da história de As Aventuras de Cacá é um pouco complicado. Porquê? Simples: o anime não narra nenhuma saga monstruosa, não tem um super vilão de risadinha sádica e insuportável querendo dominar o mundo, e nem trata de seres mutantes guerreando entre si. Simplesmente conta como é o dia-dia de uma criança de seis anos sob o ponto de vista da mesma.

Em todos os episódios vemos Cacá e seus amigos Barum e Cheirosa (por quem ele tem uma quedinha!) fazerem coisas comuns de crianças da sua idade, descobrindo aos poucos e (geralmente) em forma de brincadeiras como é o mundo. A única diferença é que o anime se passa na pré-história, e sempre possuía uma lição no fim, tipico dos desenhos dos anos 70 (lembram do Pequeno Príncipe?). É claro, que em se tratando de um desenho japonês, a carga dramática também era intensa, inclusive havendo muitas passagens psicológicas e até morte de personagens, coisa impensável para os padrões ocidentais. Talvez um dos motivos de não o terem exibido com grande projeção.

Pelo Mundo
As Aventuras de Cacá foi dublado em inglês na Austrália, onde recebeu o nome de Kum Kum, The menace (Cum Cum, O Pestinha). Depois da Austrália, o anime ganhou o mundo, sendo exibido no Canadá, Inglaterra, França, Indonésia, Itália (como Kumkum, o Cavernoso), Arábia (como Tam Tam @_@), México, em alguns países da América Central e finalmente Brasil.

A produção
Cacá foi o sexto anime produzido pela Sunrise. Sim caro leitor, bem antes de fazer animes com mechas endoidecidos atirando pra todo lado em sagas político-econômicas-apocalipticas, o estúdio era bem modesto, e vivia praticamente de produções mais simplórias (mas nem por isso ruins…). Na direção da série um nome bem conhecido pelos otakus: Rin Taro. Não conhece? Talvez não pelo nome, mas com certeza já assistiu alguma produção dirigida pelo cara. Desde que entrou pra Sunrise, no início dos anos 70, Rin Taro ficou à frente de várias obras importantes pra animação japonesa, tais como Um Vento Chamado Amnésia, Galaxy Express 999, Lupin, Metropolis e X-Movie, entre outros.

Uma coisa que ninguém sabe ainda com certeza é quem é o verdadeiro criador da série. A Sunrise costuma ter produções originais, criadas a partir de equipes da casa (que hoje assinam com o pseudônimo Hajime Yadate). No caso de Cacá, encontramos o registro de duas pessoas que assinam a criação da série: Madoka Akitsu (citada na maioria dos artigos de Cacá pela net afora) e Yoshikazu Yasuhiko. Esse último inclusive, foi character design de várias séries Gundam.



Agora que você já sabe que As Aventuras de Cacá realmente existiu, diga pra seus colegas que duvidavam da sua sanidade que você não estava drogado. Se bem que nos anos 80 haviam tantas drogas soltas por aí (Dominó, Menudo, Simony, He-Man, Smurfs…) que não se pode descartar uma alucinação coletiva…

Checklist Episódios
1- Caçando Nuvens
2- O ovo de avestruz
3- A tribo do mar
4- O Peixe Arco-íris
5- O Retorno de Roman
6- Cinzas do Céu
7- O Coelho
8- Relógio Solar
9- O colar
10- Procura-se um estudante
11- Sauros o covarde
12- Neve Voadora
13- Grotto, o mago
14- Pequena Popa
15- O Elefante Tusk
16- Adeus eternamente
17- Saurus Disaparece
18- o urso assassino
19- O desafio
20- O monstro
21- Os Guinchos declaram guerra
22- A vara
23- Os três corvos negros
24- Velha Mãe, olhos negros
25- Coração partido
26- O casamento

Publicado em Desenhos
Quinta, 30 Setembro 2010 00:00

As Aventuras de Pinóquio - 1972

As Aventuras de Pinóquio (Kashinoki Mokku) é um anime baseado no conto Pinóquio de Carlo Collodi, produzido pela Tatsunoko Studio (a mesma de Guzula, Speed Racer, Abelhinha Hutch e Samurai Pizza Cats). A americanização ficou nas mãos da Saban Entertainment (criadora dos Power Rangers). A história começa quando Gepeto, o vovozinho marceneiro que vive solitário, deseja ter um filho para lhe fazer companhia e então ele talha em madeira um boneco de um tronco de uma árvore mágica. A Fada do Carvalho dá a vida ao boneco e promete que se ele for uma boa pessoa e provar que tem um bom coração será transformado em um ser humano futuramente. Para ajudar lhe apresentou o Grilo Falante, que atuava como a consciência de Pinóquio. Entretanto, o boneco raramente o ouve e acaba sofrendo as piores consequências. Pinóquio era extremamente ingênuo, por isso era facilmente influenciado por más companhias e, de um jeito ou de outro, sofria alguns riscos de vida. Quando sua consciência pesava, Pinóquio acabava mentindo para o vovozinho, embora a Fada do Carvalho o tenha avisado para que não contasse mentiras pois seu nariz cresceria. 

 

 

O drama
A vida de Pinóquio se torna terrível quando aparece um dono de circo que sobrevive explorando tudo que possa significar novas atrações para seus espetáculos. Auxiliado pela raposa Ladinólio, a doninha Vadinólio e seu cão de guarda, o vilão aprisiona Pinóquio e tenta escravizá-lo para exibição em seu circo ambulante.
O desenho da Tatsunoko Productions era de forte apelo dramático e, por vezes, aterrorizante, enfatizando o sofrimento do boneco de madeira que vivia lamentando para seu vovozinho que ninguém queria brincar com ele por não ser um menino de verdade. Era triste ver que Pinóquio se transformava em alvo de risadas; mas extremamente triste mesmo foi em um dos episódios no qual Pinóquio tem seus pés e parte da perna consumidos por fogo; em outro igualmente depressor, Gepeto leva uma surra de vara de piratas. Isso sem contar os episódios onde apareciam bruxas, vampiros, monstros e seres diabólicos que também invadiam a vida do azarado boneco.
Final feliz
No episódio final, a Fada do Carvalho realiza o desejo de Pinóquio de virar um menino de verdade, onde ele corre atrás da mesma chamando-a de mamãe. Neste mesmo episódio, Gepeto, que no capítulo anterior havia morrido, é salvo pela Fada do Carvalho. From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro. 

Publicado em Desenhos
Sábado, 15 Janeiro 2011 01:00

As Aventuras do Doutor Dolittle - 1970

As Aventuras do Doutor Dolittle (The Further Adventures of Doctor Dolittle) foi um desenho que foi ao ar, originalmente, aos sábados pela manhã no período de 1970  a 1972 com um total de 17 episódios ao longo de uma única temporada. Dr. Dolittle iniciou sua vida fantástica nos anos de 1920, como a criação de Hugh Lofting, e passou a ser estrela de uma série de livros infantis. O bom doutor era um veterinário com um presente original e muito útil: ele podia falar com os animais (nada como você poder dizer todos os seus problemas para o seu gato favorito, não é mesmo?).

 

 

O personagem foi popular para muitas gerações de crianças, o que proporcionou a criação de um programa de rádio nos anos 30 e principalmente, um longa-metragem em 1967, estrelado por Rex Harrison. O filme fez muito sucesso com o público e deu o impulso para uma série animada três anos depois.
Dolittle navegava pelos sete mares a bordo de seu navio, o Flounder, acompanhado de Tommy Stubbins, seu assistente adolescente, e de Mooncat, um gatinho simpático.Ele conseguia levar bem o seu negócio, cuidando e conversando com vários animais que ele conheceu em suas viagens, mas muitas vezes tinha problemas com um pirata persistente chamado
Sam Scurvy, que desejava desvendar seu segredo de comunicação com os animais para conquistar o mundo (sempre armando algo para o Dr. a bordo de seu submarino disfarçado de ilha, junto com seus capangas piratas). Naturalmente, os animais com quem o bom doutor falava também tinham um papel de destaque no desenho. No trecho que eu selecionei dá para você ver o Dr. chamando alguns deles pelo nome (From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro).

Publicado em Desenhos
Domingo, 08 Agosto 2010 22:43

As Aventuras do Pequeno Príncipe - 1978

As Aventuras do Pequeno Príncipe é uma série de desenhos animados lançada no final da década de 70 baseada no livro Le petit prince de Antoine de Saint-Exupéry, criada pelo estúdio de animação "Knack", que foi ao ar pela primeira vez no Japão em 1978 sob o título de Hoshi no Ōjisama Puchi Purinsu (Prince of the Stars: Petit Prince), mostrando as aventuras do Pequeno Príncipe e da menina Rose. No total foram 26 episódios exibidos em Inglês, com 39 episódios feitos para o idioma original japonês (de acordo com a Enciclopédia do Anime de Jonathan Clements e Helen McCarthy, apenas os primeiros 35 episódios foram realmente exibidos na TV japonesa e os quatro restantes permaneceram "perdidos" até que a série foi relançada em vídeo) . From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.


Publicado em Desenhos
Quarta, 14 Setembro 2011 21:07

As Aventuras do Superboy - 1966

As Aventuras de Superboy (The Adventures of Superboy) foi uma série animada com duração de seis minutos produzida pela Filmation e transmitida, originalmente, pela CBS entre 1966 e 1969. Os 34 episódios produzidos foram apresentados ao longo de 3 temporadas embalados por curtas semelhantes como As Novas Aventuras do Superman e outros super-heróis DC Comics.

 

 

Essas aventuras marcaram a estréia de Superboy, alter ego adolescente de Clark Kent, contando ainda com Lana Lang e Krypto, o cão com super poderes que iria acompanhar o seu mestre em cada missão perigosa. Outros personagens como Pa e Ma Kent, pais adotivos do menino de aço na cidade de Smallville, também foram fielmente recriados a partir das aventuras em quadrinhos, sempre contando em cada episódio como nosso super herói saía da escola e corria para combater uma grande variedade de adversários. A maioria das histórias foram desenvolvidas por escritores DC, como Bob Haney e Kashdan George, enquanto os projetos das características dos personagens foram baseados nas histórias em quadrinhos da época. From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.

Publicado em Desenhos
Quarta, 19 Agosto 2009 00:00

Ás do Espaço - 1966

Ás do Espaço ("Space Ace, Uchū ESU ") é um desenho japonês criado pela Tatsunoko Production e exibido, originalmente, na TV Fuji de Tóquio de 8 de maio de 1965 a 28 de abril de 1966, em um total de 52 episódios (foi adaptado de uma série mangá de junho de 1964)Personagens: Ás do Espaço é um rapaz alienígena que está na Terra defendendo-a de invasores, enquanto faz sua busca pela família perdida no espaço. Para realizar tais feitos, ele se locomove sobre um anel galáctico plano, produzido a partir do giro de seus dedos, que também pode ser lançado para destruir seus inimigos.

 

O elenco de apoio incluia o Dr. Tatsunoko, que é quase um pai para Ace, e sua filha Asari, seu interesse amoroso. Proporcionando um pouco de risadas, está o repórter investigativo Flash Scoop, que geralmente aparece em cena no pior momento possível, gritando para o Ás de lhe dar uma entrevista. 

Publicado em Desenhos
Sexta, 30 Abril 2010 22:52

As Novas Aventuras de Batman - 1977

As Novas Aventuras de Batman ("The New Adventures of Batman") é uma série animada produzida pela Filmation em 1977, que estreou em 10 de fevereiro, com os super-heróis da DC Comics: Batman/Robin e Batgirl, uma continuação da série de TV Batman da década de 60, que havia sido cancelada nove anos antes. Os episódios desta série foram posteriormente exibidos junto com outros shows da Filmation, como Tarzan, Lord of the Jungle (Tarzan o Rei da Selva, de 1976, exibido na rede CBS), como parte do conjunto Batman / Tarzan Adventure Hour (CBS 1977-1978), Tarzan and the Super 7 (Tarzan e os Super 7, 1978-1980, CBS) e Batman and the Super 7 (1980-1981 NBC).



Em As Novas Aventuras de Batman, a "dupla dinâmica" combate o crime em Gotham City, encontrando a galeria de vilões do Batman clássico, assim como alguns vilões originais. Para complicar as coisas, aparece nas histórias Bat-Mirim, um duende extradimensional que se considera maior fã do Batman. Como resultado, ele usa uma variante do traje do homem-morcego e tenta ajudá-lo, muitas vezes apenas para criar mais problemas (embora ocasionalmente ele acabe "dando uma força"). Missing é Alfred, o mordomo fiel de alter ego do Batman Bruce Wayne, também notável desta série são as cores invertidas do "R", em traje de Robin. From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.

Publicado em Desenhos

The Lone Ranger é um famoso cowboy fictício do rádio, cinema e televisão. A palavra Ranger causou dificuldades de tradução já que o significado no original policial  do Texas e não fazia sentido em português. Nas versões mais recentes, o cowboy é chamado de "O Cavaleiro Solitário", mas no Brasil ficou conhecido durante muitos anos pelo nome de Zorro (outro personagem famoso, herói de capa e espada), dada a máscara negra que nunca tirava do rosto.

 

 

Seu eterno companheiro é o índio Tonto, cujo nome foi mantido na tradução, mesmo sendo uma palavra pejorativa em português (significa algo como trapalhão ou desajeitado), que não tem nada a ver com o personagem, um valoroso combatente dos fora-da-lei. The Lone Ranger foi criado por George Washington Trendle e equipe, e desenvolvido pelo escritor Fran Striker. O Lone Ranger apareceu em desenho na CBS durante o período de 1966 a 1968; nos anos 80, ele dividiu um programa da Filmation com o Zorro e Tarzan chamado As Novas Aventuras do Cavaleiro Solitário ("The New Adventures of Lone Ranger"). From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.

Publicado em Desenhos
Sexta, 11 Fevereiro 2011 01:00

Capitão Harlock e a Nave Arcádia - 1978

O ano é 2977. A humanidade tornou-se complacente e estagnada. Todo o trabalho é feito por máquinas, enquanto os seres humanos gastam o seu tempo com diversão. Mas quando um invasor misterioso das estrelas invade a terra, somente o legendário capitão Harlock pode ir de encontro a eles.

 



 

Albator, Albator, du fond de la nuit d'or
Albator, Albator, de bâbord à tribord
Tu veilles sur la Galaxie, sur la liberté aussi
Albator, Albator, le corsaire de l'espace
Albator, Albator, même si tu parais de glace
Ton cœur est bon, ton cœur est grand comme le cœur d'un géant
Le bel Atlantis est ton vaisseau
Le pavillon noir est son drapeau
Bee-Bop, Nausicaa sont avec toi
Albator, Albator, avec ton équipage
Albator, Albator, tu prends à l'abordage
Aux Stellarpons, au Planotir, tous les Spaciocargirs
Albator, Albator, capitaine au cœur d'or
Albator, Albator, bien plus fort que la mort
Tu es toujours au rendez-vous n'importe quand, n'importe où
Tu es toujours au rendez-vous, toujours avec nous

Harlock pelo mundo e por aqui
Grande sucesso na Europa, Harlock é também conhecido como Albator (mas hein?!) pelas bandas da França. O anime chegou ao velho continente no começo dos anos 80 e as adaptações feitas em cima da série foram bastante brabinhas. Arcádia por exemplo virou Atlantis por lá. Mesmo assim, a série fez barulho e arrebatou milhares de fãs. Nos EUA, a série foi lançada em 1987 e foi rebatizada de Captain Harlock and The Queen a Thousand Years. Distribuída pela Harmony Gold (a mesma que fez a montagem de Robotech), a empresa repetiu sua safadeza tática de juntar séries diferentes para fazer um anime esticado. Harlock foi misturado com o anime Sennen Jôo e o resultado foi uma série “nova” com 65 episódios (detalhe: ambas séries originais tinham 42 episódios cada). A Picaretagem não foi tão indigesta como Macross pois Sennen Jôo tinha o mesmo designer de personagens de Matsumoto. Mas para a trucagem fazer sentido, roteiros tiveram de ser refeitos.

 

 

Provavelmente a Harmony acreditou que o sucesso de Harlock na Europa poderia render um novo Macross nos EUA, mas a produção foi um belo fracasso. De qualquer forma, os gringos viram a cara de Harlock em suas tevês e ganharam até uma “mangá” desenhado por Bem Dunn em idos de 88. Diferente do que sitecos e até publicações que supunham-se ter qualidade dizem, NUNCA houve a transmissão de uma série de tevê de Harlock no Brasil.

No começo de suas transmissões, a Manchete entupia a grade de sua programação com desenhos animados – coisa que as emissoras hoje em dia preferem fazer com comerciais de Magrins® ou outros produtos fantásticos (XD). Foi nesse período que a emissora apresentou um caminhão de animes e notou que os japas conseguiam chamar mais atenção que os cartoons tóxicos da Hanna Barbera. Nessa época ela exibiu Harlock e vários outros animes originalmente lançados por aqui em vhs (como Baldios) em formato de mini-série, dividindo os longas em aproximadamente 5 capítulos cada.

Dublado no Rio de Janeiro, nos lendários estúdios da Herbert Richers, Harlock conta com um punhado de vozes típicas dos anos 80 no elenco. O Capitão tem a voz do dublador do Mel Gibson (Julio Chaves) enquanto Toshio tem a voz do Ricardo Schnetzer (o ator mexicano Fernando Colunga, que fez o marido da Maria do Bairro e da Usurpadora x_x). A bela rainha Emeraldas ficou com a raquítica voz da Feiticeira de Greyskull (a mulé toda gata e colocam voz de tia veia! Putz!).

A fita lançada pela Brazil Home Vídeo é um tanto rara de se encontrar hoje em dia e traz uma pequena “trucagem” made in brazil. Como o filme é muito extenso para caber nas 2 horas do rolo do VHS, cortes foram feitos na cara de pau. Embora isso não chegue a prejudicar a compreensão da história, você fica com aquela sensação de “Cortaram algo que eu deveria ter visto!”.

O canal Animax exibiu para o público brasileiro uma série de produções contemporâneas baseadas em mangás de Matsumoto onde cada protagonista é um “clone” do Harlock. O interessante nessa salada louca é que por mais legais que tentem ser, nenhum clone consegue se tornar tão carismático como o legendário capitão. Pergunte a quem o conheceu! Se é que ainda consegue se lembrar… fonte: jbox.com.br

Capitão Harlock (Kyaputen Hārokku) também conhecido como "Captain Herlock" na versão inglesa de “Uma Odisseia no Espaço” e como "Albator" em países de língua francesa é um personagem fictício criado pelo artista de mangá Leiji Matsumoto e protagonista da série de mangá Space Pirate Captain Harlock. O personagem foi criado por Leiji Matsumoto em 1977 e popularizado na série 1978 de televisão Pirata do Espaço Capitão Harlock. Desde então, o personagem já apareceu em várias séries televisivas de animação e filmes, o último dos quais é de 2013 “Space Pirate Captain Harlock”.

------------------------------------------------------------------------

História

Embora existam pequenas variações em cada narração da história de Harlock, os fundamentos permanecem os mesmos. Matsumoto apresenta um futuro (2977 AD), em que a Terra alcançou uma vasta civilização nas estrelas, mas é lenta e progressivamente avança ao tédio ou desespero, muitas vezes devido à derrota e subjugação por um invasor estrangeiro. Se levantando contra a apatia geral, Harlock nega a derrota e lidera uma equipe de fora da lei a bordo de sua nave Arcádia para empreender ousados ​​ataques contra opressores da Terra. Mesmo que eles tenham derrotado a Terra e devastado seu povo, os invasores são frequentemente apresentados em uma complacente luz. A série apresentou um arco de história em que uma enorme esfera de metal preta atinge Tóquio e lendas maias antigas parecem estar andando na Terra novamente. Os invasores são os Mazone, uma raça de mulheres à base de plantas que exploraram a Terra no passado mítico e agora estão de volta para recuperá-lo. Apenas Harlock e sua tripulação incompatível são corajosos e capazes o suficiente para enfrentar o inimigo. A primeira versão animada de Capitão Harlock foi lançada em 1978 pela Toei Company e teve 42 episódios. A direção dessa série ficou a cargo do (hoje) renomado diretor Rintaro que dirigiu o soberbo Metropolis – disponível em DVD duplo por aqui. O sucesso fez com que, ainda em 1978, fosse lançado um curta-metragem chamado “O Mistério de Arcádia” com meia hora de duração. Em 1982 foi a vez de um longa de verdade com Waga Seishun no Arcádia (Minha Juventude em Arcádia) que teve mais de duas horas (!!!) de animação nos cinemas japas. Esse é o filme que foi lançado no Brasil em VHS pela Sato Company em 1985 (quando ainda se chamava Brazil Home Vídeo) e que a Manchete exibiu como uma mini-série em 5 partes na sua saudosa Sessão Animada, Harlock ainda ganharia mais uma série devido ao sucesso do filme, no mesmo ano de 1982 – Waga Seishun no Arcádia: Mugen Kido SSX (Minha Juventude em Arcadia: Órbita Infinita SSX) com 22 episódios. Fonte: megahero.com.br

Publicado em Desenhos
Marcado sob
Terça, 26 Março 2013 21:00

Mosco Heróico - 1965

Furacão, o super-herói Mosco Heróico (Fearless Fly), tinha uma vida tranqüila com sua namorada Flora e Horsey (seu rival com relação à Flora). Os três gostavam de sair para ir ao restaurante “The Sugar Bowl” e eram moscas perfeitamente normais, exceto quando Furacão entrava em uma caixa de fósforos e colocava seus óculos especiais, com “milhões de megatons de energia” passando através dos “músculos sensíveis de sua cabeça” (rrrsss), fazendo dele tão forte que nenhum papel pega-mosca ou inseticida podia detê-lo. Mosco Heróico vivia em luta contra perversos vilões, como os temerosos “Dr. Goo Fee" e "Gung Ho”.


Publicado em Desenhos
Quarta, 07 Outubro 2009 00:00

O Poderoso Thor - 1966

Thor é um personagem de HQ presente no Universo Marvel, publicado pela Marvel Comics. Baseado no deus Thor da mitologia nórdica, ele foi criado por Stan Lee, Larry Lieber e Jack Kirby, tendo Joe Sinnot participado como desenhista ajudante, não sendo creditado. Sua primeira aparição foi numa revista chamada Journey into Mystery nº 83, em 1962, nos E.U.A. Ele também protagonizou um segmento da série animada Os Super Heróis Marvel que foi ao ar, originalmente, em 1966, O Poderoso Thor, "The Mighty Thor" (segundo vídeo abaixo).

Quando O Poderoso Thor surgiu para os quadrinhos Marvel, os artistas se inspiraram nas lendas nórdicas, com seus deuses e ameaças tão fantásticas. Mas ele só foi retratado como o verdadeiro deus nórdico, e não um humano com seus poderes, quando Lee assumiu os roteiros da personagem, que no início ficaram a cargo de seu irmão, Larry Lieber. Assim, foi criado um dos mais poderosos membros dos Vingadores
Em várias histórias Thor enfrenta divindades de outras mitologias. O confronto mais memorável foi quando combateu Hércules, num arco de histórias de Lee/Kirby que introduziu os deuses gregos no Universo Marvel. Também já enfrentou o deus egípcio Seth
Filho de Odin, o Deus supremo de Asgard (o céu dos nórdicos) e de Jord, a deusa da Terra (também chamada de Midgard), Thor é o príncipe de um outro mundo existente numa dimensão acima de Midgard, a Terra. Nesse mundo, existem outros diversos reinos como por exemplo a terra dos gigantes de gelo e Valhalla, o lugar para onde vão os espíritos dos guerreiros que morrem em combate. Trata-se justamente de uma adaptação da mitologia nórdica, traduzida no Universo Marvel como apenas mais uma dimensão paralela. 
Os nove mundos de Asgard são ligados pela Ponte do Arco-Íris (Bifrost), que é guardada por Heimdall, o eterno guardião da ponte. Thor possui um irmão adotivo chamado Loki, o traiçoeiro deus das trapaças e mentiras. Devido à sua má índole e à inveja que sente por Thor por este ser o filho mais querido de Odin, Loki está sempre a tramar a morte do irmão e a posse de Asgard (coloquei um pequeno trecho do episódio piloto abaixo).



Publicado em Desenhos
Sábado, 19 Setembro 2009 00:00

Os Mussarelas - 1972

Os Mussarelas (The Roman Holidays) é um desenho animado de 1972, produzido pela Hanna-Barbera Productions. Ele contava as aventuras e desventuras vividas por Zecas Mussarela (Gus Holiday) e sua família, que viviam na Roma Antiga. O desenho procurava seguir a linha dos populares Os Flintstones e Os Jetsons, mas acabou não sendo valorizado pelo público e terminou com apenas 13 episódios produzidos. From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.


Publicado em Desenhos