Menu

Rota 66 - 1960 Destaque

Rota 66 é uma série de tv americana que mostrava as aventuras de dois homens que viajavam pela América. Ela foi ao ar semanalmente na rede CBS de 1960 a 1964, estrelando Martin Milner como Tod Stiles e, por duas temporadas e meia, George Maharis como Buz Murdock (Maharis ficou doente grande parte da terceira temporada, momento em que Tod conheceu Lincoln Case, papel desempenhado por Glenn Corbett, que passou a viajar com ele até o final da quarta e última temporada). A série é muito lembrada pela presença nas filmagens do clássico Corvette conversível e pela música tema instrumental composta e executada por Nelson Riddle, que se tornou um grande hit musical.

Ela foi um híbrido entre histórias dramáticas, com personagens e situações contínuos, com o formato antológico de The Twilight Zone, no qual em cada semana havia um elenco e tema totalmente diferentes. A série teve apenas três personagens fixos, mas somente com dois deles aparecendo no mesmo episódio simultaneamente. Como Richard Kimble da série O Fugitivo ("The Fugitive"), nossos viajantes mudavam de lugar em lugar conhecendo novas pessoas e seus problemas locais (diferentemente de Kimble, nada os forçava a permanecer em movimento, exceto sua própria sensação de aventura, fazendo-os se aproximar mais de séries como Alma de Aço, "Run for Your Life-1965", e Then Came Bronson-1969; um exemplo deste tipo de viajante protagonista apareceria mais tarde na série "Quantum Leap-1989").

Esta conceito onde o drama é centrado sobre as estrelas convidadas para os episódios, em vez de um elenco regular, fora desenvolvido anteriormente por Stirling Silliphant na série Cidade Nua, "Naked City" (1958-63). Ambas foram reconhecidas por seus scripts bem feitos nas adaptações para as diversas situações que envolviam os pernosagens em cada episódio (este formato aberto, com dois observadores fixos, deu a Silliphant e a os outros escritores uma paisagem quase ilimitada para a apresentação de uma ampla variedade de temas com histórias dramáticas ou mesmo cômicas; virtualmente, qualquer coisa podia ser adaptada para a série, tendo apenas de se trabalhar o elenco fixo para adaptá-lo e ajustá-lo às configurações locais daquele episódio).
Tod e Buz (e mais tarde, Linc) simbolizavam uma juventude inquieta em busca de seu significado no início dos anos sessenta mas não caracterizavam, essencialmente, algum tipo de personagem da época (quase nada se soube deles ao longo da série). Tudo o que foi dito é que, após a morte do seu pai, Tod Stiles herda um Corvette novo e decide conduzí-lo pela América com o seu amigo Buz. Tod era tipicamente decente e honesto, sendo o âncora moral da série. Em contrapartida, o trabalho de Buz era mais flexível em suas atitudes. Lincoln Case, substituto de Buzz na 3ª temporada, era um personagem mais sombrio, um veterano do exército assombrado por seu passado; mais introspectivo, por vezes apresentava um temperamento mais explosivo como parceiro de aventuras.
O episódio final da série em duas partes, "Where There's a Will There's a Way", mostra Tod Stiles se casando e finalmente se estabelecendo em um local fixo (Linc também resolve "estacionar" suas aventuras). Isto tornou a série um dos primeiros dramas televisivos a planejar um final e resolver o destino de seus personagens principais.
Tudo foi filmado e apresentado em preto e branco, algo não raro para uma série do início dos anos 60 (From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro).



voltar ao topo