Menu

Nacional Kid - 1960 Destaque

National Kid (ナショナルキッド, Nashônaru Kiddo em japonês) é uma série japonesa de tokusatsu que foi exibida no Japão de 4 de agosto de 1960 a 27 de abril de 1961. Foi produzida pela Toei Company e exibida pela NET (atual TV Asahi). O seriado foi criado em 1960, por encomenda, com a finalidade de servir de merchandising para a fábrica de eletrodomésticos National Electronics Inc., atual Panasonic. A tarefa foi entregue ao mangaka Daiji Kazumini, o mesmo que algum tempo depois criaria outro herói espacial, Spectreman. O personagem deveria ter poderes especiais, voar e lutar pela paz no mundo. Levaria o nome da empresa para ajudar a aumentar as vendas. Os atores eram, em alguns casos, amadores, e os episódios foram todos filmados em preto-e-branco. 

 

Quando a Terra era ameaçada por seres de outro planeta, surgia um ser vestido com roupa espacial, capacete, máscara, capa e luva que salvava a todos e era auxiliado (ou atrapalhado) por vários personagens. Seu nome era Nacional Kid. Ele era oriundo da galáxia de Andromeda (nota do autor: coloquei na segunda parte do vídeo o momento histórico em que ele revela sua identidade secreta). O que caracterizava este super-herói era o seu modo de voar. Diferente do Super-Homem, ou qualquer outro, ele voava com os braços abertos. Com duas pistolas, colocava fora de combate os seus adversários. Suas lutas corporais com seus adversários eram verdadeiras danças, e ele é um dos precursores das lutas marciais vistas hoje nos filmes do gênero. Ninguém sabia que, na verdade, Massao Hata tinha dupla identidade: ele era o Nacional Kid. Dois atores protagonizaram o personagem de Nacional Kid: Ichiro Kojima iniciou o seriado, substituído por Tatsume Shiutaro a partir da história "O Império Subterrâneo".

Os personagens

Massao Hata era um pacato professor japonês cujos alunos eram as crianças Gôro, Kura, Yukio, Kioko, Tomohiro e Tiako (a mais velha, que tomava conta da casa e dos menores). Havia também o cientista Dr. Mizuno e o delegado Takakura com seu assistente Hisako.

As Histórias

O seriado é composto de 39 episódios distribuídos em cinco histórias:

Os Incas Venusianos

Seres de orelhas ponteagudas, vestidos em um traje com a letra Z estampada na camisa, eram comandados pela imperatriz Aura. A característica marcante era a sua saudação: "Awika", com os braços cruzados. Voavam elevando os joelhos, parecendo estar correndo no espaço.

Os Seres Abissais

Governados por Nelkon, o demônio do Reino Abissal, andavam a bordo do submarino-monstro cujo nome era Celacanto, ou Guilton. Quando este balançava as barbatanas, provocava um terremoto, daí a famosa frase: "Celacanto provoca Maremoto".

O Império Subterrâneo

Os seres subterrâneos, comandados por Helltar e Hana se associam ao professor Kuroiva, para obter a fórmula do elemento Cobálcio, que traria poderes aos possuintes.

Os Zarrocos do Espaço

Seres de narizes finíssimos que comandavam o monstro Giabra. Este só não destruiu as cidades de Tóquio, Osaka e outras menos conhecidas por intercessão do Nacional Kid (nota do autor: na primeira parte do vídeo eu coloquei o momento em que Nacional Kid derrota este terrível monstro...rrrsss).

O Mistério do Garoto Espacial

Tarô, o garoto espacial, cai por engano na Terra. Em seguida, é feito prisioneiro pelas autoridades terráqueas. O pai de Tarô, irado, ameaça destruir a Terra por causa de seu filho. Inicia a destruição por Tóquio, até que seu filho, que tinha ficado amigo dos detetives mirins (alunos de Massao Hata), faz um apelo a ele de forma inusitada: gritando para o seu pai na direção do espaço, sem nenhum dispositivo eletrônico de comunicação, que os terráqueos eram boas pessoas. Assim, seu pai ouve a mensagem e a Terra é salva. Em seguida, Tarô volta em segurança ao seu planeta.

No fim desta história, Massao Hata revela a sua identidade secreta e com a missão cumprida volta para Alfa-Centauro, sua estrela, não sem antes deixar uma mensagem de paz e otimismo.

Exibição e repercussão no Brasil

No Brasil a série foi televisionada de 1964 até início dos anos 1970 pelas Rede Record e Rede Globo.

Ainda que tenha sido grande sucesso entre a juventude no Brasil, não fez muito sucesso no Japão. Nas palavras de seu próprio produtor, que em viagem ao Brasil na década de 90 foi descoberto por um repórter que o entrevistou, disse ter se surpreendido com a popularidade que a série havia conseguido alcançar no país (From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro).

voltar ao topo