Menu

Kimba, o Leão Branco - 1965 Destaque

Kimba, o Leão Branco (Jungle Taitei) é um mangá de Osamu Tezuka, mais tarde transformado em anime, que trata das relações entre o homem e a natureza através da história do leão branco Kimba enquanto ele tenta governar a selva. Junto com Astro Boy, estabeleceu uma das mais icônicas criações de Tezuka. Em 1965, a Mushi Productions fez uma série animada baseada no mangá, uma das primeiras coloridas da televisão japonesa.

História 
Em meio à selva africana, vivia um leão chamado Panja. Ele era um leão branco e queria dar a todos os animais selvagens um abrigo livre do medo dos homens e de outros animais perigosos. E, em grande medida, ele é bem sucedido. Seu único erro: libertar o gado das vilas vizinhas.
Graças a isso, dois caçadores profissionais são contratados para dar um fim aos ataques de Panja. Eles tentam evitar um ataque direto ao leão, e para isso usam como isca o amor que o mesmo tem pela sua companheira leoa ao gravar os rugidos dela para usá-los como chamariz (isso acaba dando errado e não faz Panja cair na armadilha...ufa..rrsss). Em seguida, eles capturam a leoa e a escondem em um desfiladeiro, quando o fazem ir até lá para uma emboscada que acaba sendo fatal. A leoa é levada para um zoológico de navio.
Nesse navio, ela dá a luz a Kimba e lhe ensina os ideais do seu pai, os quais ele põe em prática quase que imediatamente, ao tornar-se amigo dos ratos do navio. Durante uma tempestade que acabaria por virar a embaracação, ela diz para ele fugir e voltar à selva e ocupar o seu lugar de direito no trono do pai.
 Kimba consegue fugir, prometendo voltar para a selva, mas se perde no oceano e vai parar na civilização, aonde anda por muitas cidades como Londres e Paris e conhece bons e maus humanos, além de admirar-se com as tecnologias dos homens.
Depois de certo tempo, o jovem leão consegue chegar à África aonde encontra problemas: o leão Bobo havia se proclamado rei e não gosta de saber da volta do herdeiro legítimo. Kimba luta para reconquistar o reino, não sem luta, e, a partir daí, procura tornar o mundo animal mais civilizado, em especial fazendo com que não mais se coma carne e ensinando os animais a falar como humanos. Há resistência a essas mudanças, mas o novo rei conta com muitos aliados como Poly, o papagaio, Bucky o antílope, André, o mandril e diversos outros animais, assim como o humano Jonathan. Até que Kimba se torne adulto, passa por diversas aventuras. Ao final, ele tira a própria vida para dar a sua pele ao amigo e, assim, salvá-lo do frio.

 Personagens

     * Kimba (Leo, no original): o jovem leão branco nascido em um navio e órfão tenta voltar para o reino de seu pai aonde pretende assumir o trono, mas perde-se no caminho e vai parar em meio à península Arábica. Mais tarde, passeando por grandes cidades, aprende muitas coisas com os homens e sobre eles. Kimba retorna à África aonde obtém de volta o seu trono para tentar melhorar a vida dos animais.

     * Poly (Koko, no original): um papagaio pertencente à dona de um grande hotel que o maltratava, deixando-o acorrentado e batendo nele. Tornou-se livre e conheceu Panja, o pai de Kimba, admirando-se com sua força e bondade. Mais tarde, faz o possível para ajudar o filhote de Panja.

     * Bucky (Tomy, no original): uma jovem gazela-de-Thomson macho. Atrapalhado e muitas vezes medroso, Bucky acaba se metendo em várias confusões. Sempre ajuda Kimba a sair de seus problemas, correndo para lá e para cá e gritando muito, isso quando não é ele a colocá-lo em apuros.

     * Daniel (Mandy Mandrill, no original): Daniel é um mandril (macacos parentes próximos dos babuínos) sábio e prudente, mas seus conselhos nem sempre são seguidos por Kimba que prefere seguir seus próprios instintos, colocando por vezes a própria vida em risco. A maior parte do tempo está dando conselhos sobre como solucionar os problemas na selva, mas de vez em quando também causa algumas dificuldades pela recusa em aceitar inovações e em entendê-las.
     * Léia (Liya, no original): perdeu os pais quando jovem e é criada pelo tio, Majestica, leão de pelagem pintada líder de um bando das montanhas. Conheceu Kimba e apaixonou-se por ele, mesmo contra a vontade do tio. No mangá, eles se tornam adultos e ficam juntos, mas na primeira versão do anime isso não chega a acontecer.
     * Bubu: leão inimigo de Panja que se apossou do trono de Kimba por julgá-lo morto. Não protegia os animais mais fracos e mantinha a lei da selva, sendo ele o rei. Após o retorno de Kimba, tenta junto de seus companheiros, as hienas Dick e Bow e a pantera negra Tot, tomar o reino através de diversos planos.
     * Jonathan (Kenichi, no original): humano que resgatou Kimba quando o navio em que estava naufragou e ele foi parar na península Arábica. Levou-o junto com seu tio Higeoyaji, e Mary, sua namorada, para conhecer o mundo dos seres humanos. No mangá, Kimba volta para a África em uma expedição junto com ele, mas na versão original do anime o avião em que Jonathan viajava cai em meio à selva africana e ele reencontra Kimba. Ajuda o pequeno leão, por exemplo, quando pesquisa as origens de Kimba e descobre sua descendência de Andrópolis, um leão egípcio que bebeu uma poção da sabedoria.
Polêmica entre Kimba e O Rei Leão
 Em 1994, a Walt Disney Company lançou nos cinemas o desenho animado The Lion King (O Rei Leão). Com o sucesso, muitos fãs da animação japonesa notaram diversas semelhanças entre ele e o anime de Osamu Tezuka.
 Entre as semelhanças estão, por exemplo, o nome dos personagens principais, Kimba e Simba ("Simba" significa "leão" em Suaíli), a morte do pai deles, alguns personagens secundários como o mandril Daniel e o babuíno Raffiki, os pássaros Poly e Zazu e até os vilões Bubu e Scar. Algumas cenas também são bastante parecidas.
 Na verdade, uma versão da história diz que o nome original do personagem Kimba seria Simba, mas na época da chegada do desenho aos Estados Unidos da América, já havia uma marca de bebidas registrada com o nome e eles resolveram trocá-lo para não haver problemas com merchandising, no caso de o desenho fazer sucesso.
 Há diversos boatos envolvendo essa polêmica, e alguns deles afirmam que Simba era originalmente um leão branco, como Kimba, mas a cor do personagem foi trocada posteriormente e que, apesar de a Disney afirmar que ninguém na companhia jamais havia ouvido falar de Kimba, foram vistos alguns desenhistas assistindo a episódios de Kimba durante a produção.Na época do lançamento do filme, os herdeiros de Tezuka chegaram a mover uma ação contra a Walt Disney Company, para solicitar que ao menos o nome de Osamu aparecesse nos créditos, mas desistiram (nada confirmado...)

O mangá e as versões animadas
O mangá
 O mangá de Kimba começou a ser publicado na revista Manga Shonen (Comic Boy) em 1950. Foi a primeira série de longa duração publicada por Tezuka e o primeiro grande sucesso dele em Tóquio, justamente no início de sua carreira. O traço do desenho é bastante caricato e contou apenas com três volumes - redesenhados e republicados diversas vezes posteriormente - que contam a história de Kimba: a infância na sociedade humana, a sua chegada na selva e seu desgosto com os animais até o seu reinado e morte.
Jungle Taitei (1965)
 Na série animada original (o desenho que você assistiu aqui no Brasil), o roteiro se diferencia do mangá pois Kimba nunca se torna adulto e o final trágico em que ele morre para salvar um amigo do frio não existe. Durante o período de produção, um contrato entre as redes de televisão Fuji TV, japonesa, e a NBC, americana, foi o responsável por essas mudanças.
A NBC queria um desenho com o qual houvesse uma maior identificação por parte das crianças e um leão adulto tornaria isso mais difícil; portanto, ficou acordado que se essa versão fizesse sucesso, seria produzida uma segunda temporada continuando a história e seguindo mais fielmente o mangá.
 Outro problema seria o final trágico da série, que não chegou a ser produzido. Apesar disso, a NBC realizou diversas alterações e edições nos episódios para minimizar cenas de luta, além de não exibir outros. É devido a isso, também, que os episódios contam histórias isoladas, não formando um arco maior que evolui ao longo do tempo.
 Foi uma das primeiras séries de animação colorida do Japão, sendo exibida no Brasil entre 1970 e 1975 na TV Tupi com bastante sucesso e, por isso, reprisada mais tarde na Fox Kids em 1998, na TVE Brasil e no Boomerang.
Outras
Outras duas séries ainda foram produzidas, bem como dois filmes animados, Chouhen Jungle Taitei e Jungle Taitei Leo, exibidos respectivamente no Japão em 1966 e em 1997.
A série, Jungle Taitei Susume Leo (1966), é a continuação da anterior, agora mais fiel ao mangá e realista, e conta com sensível melhora na animação. Trata de Kimba na fase adulta, casado e com filho e traz novos personagens. Apesar dos problemas financeiros com as companhias envolvidas em trazê-la para o Ocidente, foi exibido nos Estados Unidos em 1984.
A outra, Jungle Taitei (1989), uma recontagem da história original, sendo diferente de todas as outras versões da história. Não contou com a participação de Osamu Tezuka para ser produzida e não fez muito sucesso, provavelmente devido às alterações feitas no roteiro. From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.

Mídia

voltar ao topo