Menu

Batman: a série animada - 1992 Destaque

Batman: a série animada ("Batman: The Animated Series"), por vezes abreviada como Batman: TAS, foi um premiado desenho animado (dois prêmios Emmy) adaptado das revistas em quadrinhos, tendo como principal estrela o famoso herói DC Comics, Batman. A série é conhecida por ser a primeira a se passar no que se convencionou chamar DC Animated Universe, ou Universo Animado DC, com produção da Warner Bros. Animation.  Com o estilo visual baseado no trabalho artístico do produtor Bruce Timm, a série original foi exibida na FOX americana a partir de 5 de setembro de 1992, encerrando-se em 15 de setembro de 1995.

 

Quando a primeira temporada foi exibida, não havia sido colocado "propositalmente" o título na tela, mas oficialmente ela foi chamada de Batman: The Animated Series seguindo os nomes usados nos anúncios promocionais. Ao longo dos últimos capítulos, ela foi renomeada para As Aventuras de Batman e Robin ("The Adventures of Batman and Robin"), nome originalmente usado nos desenhos animados de 1969-1970, criado pela Filmation e que foram ao ar na rede CBS. O sucesso da série original atingiu grandes proporções, levando a que fossem criadas outras baseadas nos conceitos estabelecidos dessa primeira: de 1997 a 1999 surgiu The New Batman Adventures, também conhecido como Batman: Gotham Knights, com a ampliação do elenco de heróis, pois foram incluídos Batgirl e Asa Noturna além de um novo Tim Drake. Os episódios foram exibidos juntamente com novos capítulos de Superman: The Animated Series, As Novas Aventuras de Batman e Superman (The New Batman/Superman Adventures). Algumas vezes, os enredos dos episódios de As Novas Aventuras de Batman foram combinados com os de Batman: The Animated Series, usando-se a mesma seqüência introdutória. Isso levou a que muitas fontes listassem essas séries como sendo uma única, embora seja duas distintas. Durante anos, o departamento de animação da Warner Bros foi reconhecido apenas pelos desenhos dos Looney Tunes e de seus derivados, tais como a série Tiny Toon Adventures. A série do Batman, que foi a primeira tentativa de se fazer um grande desenho animado, conseguiria um sucesso inesperado e levou a que se fossem iniciadas outras adaptações animadas de personagens da DC Comics.

A série original foi parcialmente inspirada nos quadrinhos de autoria de Frank Miller, principalmente Batman: The Dark Knight Returns, e nos filmes de Tim Burton: Batman e Batman Returns. O Superman recebeu influência dos cartuns animados produzidos pela Fleischer Studios  nos anos de 1940. Timm e Radomski conceberam a série mantendo uma ambientação próxima a dada por Tim Burton, a qual era definida por eles como de "transcendental atemporalidade". Foram incorporados efeitos visuais como as modas do vestuário em preto-e-branco e estilo dos anos de 1940, inclusive o do Batmóvel, dirigíveis policiais, cores em tom sombrio ao estilo dos filme noir. A série inicialmente usou um tema musical realizado a partir de uma variação da música escrita por Danny Elfman  para o filme Batman, de Tim Burton, e Batman Returns; mais tarde, os episódios  exibiram um novo tema com um estilo semelhante ao de Shirley Walker. A trilha sonora da série foi influenciada por Elfman e pelo trabalho de Walker sobre o Batman e Batman Returns, além de canções da década de 1940.
O programa alcançava o público adulto, divergindo do foco dos anteriores que mostravam um típico herói de desenho animado. Em sua constante busca para tornarem o visual do desenho mais sombrio, os produtores atingiram os limites da ação animada: foi o primeiro trabalho em anos que mostrou armas de fogo em vez de fantasiosas armas laser (embora apenas um personagem tenha sido mostrado como realmente atingido por um tiro: o Comissário Gordon, no episódio "Eu sou a Noite", visto ferido após o término do tiroteiro). Batman somente trocava socos e pontapés com os antagonistas, onde a existência de sangue era quase nula; além disso, muitos fundos apareciam em painéis pretos. O visual e a combinação de imagens similares aos dos filmes com o visual artístico art deco (movimento que, de certa forma, é uma mistura de vários estilos e movimentos do início do século XX, incluindo construtivismo, cubismo, modernismo, bauhaus, art nouveau e futurismo), resultou na escolha de um escuro esquema de cores batizado de "Dark Deco" pelos produtores. Timm e Radomski declararam encontrar resistência por parte de executivos do estúdio, mas o sucesso do primeiro filme de Burton permitiu que o projeto sobrevivesse o suficiente a ponto de se conseguir realizar um episódio piloto, "Asas de Couro".
A série rapidamente recebeu ampla aclamação pelo seu estilo visual e animação madura e instantaneamente se tornou um hit. Fãs de uma ampla faixa etária elogiaram o desenho, o tom cinematográfico e as histórias. A voz de Batman no seriado, Kevin Conroy, utilizava duas entonações distintas que diferenciavam Bruce Wayne e Batman, assim como Michael Keaton tinha feito nos filmes. Ela também apresentou um elenco de dubladores que incluiu grandes atores dando vozes aos vários vilões clássicos, principalmente Mark Hamill, que estabeleceu uma nova carreira para si próprio na indústria da animação, com a sua interpretação "palhaça" ao retratar o Coringa. As sessões foram gravadas com os atores juntos em um estúdio, como um programa de rádio, ao contrário dos outros filmes animados, no qual os principais atores gravavam as vozes separadamente e nunca se encontram. Segundo alguns, foi um benefício para o desenho como um todo, possibilitando aos atores "reagirem" a outra voz, em vez de simplesmente "lerem as palavras".
A chave para sucesso da série é que a mesma conseguiu redefinir personagens clássicos, prestando homenagem aos seus antigos intérpretes mas dando-lhes nova força dramática. A caracterização de vilões como o Duas-Caras e o Charada e heróis como Robin - que tinham aparecido no filme de Joel Schumacher, Batman Eternamente - demonstra isso. O Pinguim mostrado possuiu o formato recebido em Batman Returns, filme que fora lançado ao mesmo tempo que a série, além de personagens esquecidos que ganharam novo impulso como o Rei dos Relógios. Um exemplo de mudanças radicais que também existiram foi a do Senhor Frio (cuja personagem no episódio "Coração de Gelo" foi premiado com um Emmy): fele foi transformado de um cientista louco obcecado com um máquina criogênica, para a de uma trágica figura cujo seu exterior frio esconde um amor condenado e um fúria vingativa. Parte da tragédia é mostrada mais tarde, no filme de Joel Schumacher, Batman e Robin, embora muito do drama tenha se perdido com essa nova adaptação do cinema. Dentre os personagens próprios da série, a mais famosa foi a assistente do Coringa chamada Arlequina (Harley Quinn), que se tornaria tão popular que a DC Comics posteriormente viria a inseri-la no universo dos quadrinhos. From Wikipedia. Tradução/adaptação livre: Vitor Pinheiro.

voltar ao topo